Lisa de St, Croix, em conversa com João Caldeira, fala sobre os Workshops realidados no Primeiro Mês Internacional de Tarot

Registos de Arquivo




Este vídeo foi realizado para o 1º Mês Internacional de Tarot
Lisa de St. Croix
fala seus Workshops que veio realizar em Lisboa, em conversa com João Caldeira, o Fundador da Casa de Tarot

No Texto embaixo temos a tradução integral do vídio referido acima.
Tradução de Pedro Múrias



João Caldeira: Bem-vindos de novo. Eu sou o João Caldeira, o fundador da Casa de Tarot de Lisboa e esta casa vai organizar um Mês Internacional do Tarot. No meio desse Mês de Tarot, em Maio, vamos ter os Encontros Internacionais de Tarot. Lisa de St. Croix, que está agora aqui comigo, vai estar cá e fazer alguns workshops relacionados com a Arte no Tarot. Assim, vou deixá-la falar-vos um pouco destes workshops. Ela é um membro honorário da casa de Tarot de Lisboa e nós estamos muito orgulhosos de a ter connosco. Então, Lisa, pode falar um pouco desses workshops que vai fazer?

Lisa de St. Croix: Sim, estou muito entusiasmada de ir aí e apresentar estes dois workshops. Não são necessariamente para artistas; são para qualquer pessoa que queira explorar alguma criatividade sobre Tarot. Pode ser um artista, mas são para qualquer pessoa. Eu gostaria muito de inspirar as pessoas e levá-las a brincar com diferentes materiais. Vou-vos mostrar um pouco daquilo que irei ensinar.

JC: Ok.

LS: Vou pegar na minha câmara e movê-la para vos mostrar um pouco do meu estúdio.

JC: Ok.

LS: Ali está o meu cão. Bem, este é o meu estúdio aqui em Santa Fé. Um dos workshops que eu vou dar é sobre o “Diário de Tarot”. Aqui está a minha versão. Estas são na realidade três das minhas cartas na capa. Dentro faço várias coisas diferentes. Isto foi um panfleto para um workshop que eu dei uma vez. Mas também tenho a minha história de como… Sabes, fiz algumas páginas… Esta é a jornada xamânica de que penso ter falado da última vez que falámos. Naturalmente, esta é a Papisa e o baralho de Rider Waite. E depois tenho a minha Mãe e estas são as cartas que eu penso que ela teria naquela leitura tão profunda. Também escrevo algumas coisas. Estes são os meus avós e este é o templo onde eu fiz a jornada xamânica, fui a este templo, que se parece muito com a carta da Papisa, como podem ver. Estes são os meus avós, eles são maçons, e existe uma grande semelhança, como podem ver. E eu não sabia, por isso foi outro enorme sincronismo. Mas este diário visual é um óptimo lugar onde registar as vossas leituras. Assim, se tiverem uma leitura importante ou algo do género, podem escrever. Eu imprimo cartas ou baralhos do computador, recorto-as e colo-as e uso pintura no fundo. Isto foi um workshop que eu fiz com uma professora maravilhosa que cá veio, Carrie Paris. Fiquei com imensa informação da aula dela e de a arrumar em qualquer sítio ou a pousar num monte, usei este livro como um lugar onde a guardar. Isto foi outra jornada xamânica, na realidade foi um workshop que dei. Bem, eu sonhei e levei as pessoas para um transe. E depois esta foi a carta que eu tirei, que foi muito apropriada, o Imperador, um líder. Mas também tivemos aqui em Santa Fé uma grande conferência chamada “Land of Enchantment” [Terra do Encantamento], que é o nome do Novo México, donde trouxe muitos papéis. Aqui está algo sobre a Marie Greer, que veio cá e ensinou. Assim, este livro é um sítio óptimo onde guardar toda esta informação. E como podem ver, não ter de ser assim tão artístico. É apenas um local onde escrever os vossos sentimentos e depois eu uso alguns pastéis, lápis de cera ou algo assim. Aqui está uma fotografia que imprimi do meu computador onde está a Marie Greer a olhar para uma das minhas cartas. Assim, sabem, às vezes ponho as minhas próprias cartas aqui e diferentes leituras. Isto é algo que qualquer pessoa pode fazer, não tem de ser necessariamente um artista, mas é um lugar óptimo para processar os vossos sentimentos sobre o Tarot.

JC: Está a dizer que de alguma forma irá ser diferente para cada pessoa, de acordo com o conhecimento que têm de Arte e a sensibilidade que têm pelas cartas, pelo Tarot. Porque estou a olhar para o teu livro e estou a fazer uma Arte muito intensa, poderá ser algo como: “Será que eu consigo fazer isto?” Se calhar algumas pessoas vão-se perguntar: “Será que eu consigo fazer isto?”, “Conseguirei fazer um trabalho tão bonito?” Pode dizer algo para que essas pessoas possam estar mais libertas, não tão amedrontadas?

LS: Sim, tal como disse antes, não se tem de ser um artista, sabem? Posso-vos mostrar alguns métodos simples de interligar as vossas imagens. Se levaram algumas imagens de baralhos de Tarot para uma aula, podem imprimir em computador, levar cola e tesouras… Não precisam de muito material, na realidade. Podem fazer apenas páginas muito simples. Eu só vos mostrei várias técnicas de como por a vossa informação num livro. Se for um artista, isso é fantástico, mas se for apenas… Com alguma tinta pode destacar um cartão-de-visita. Há muito texto manuscrito aqui, com as várias canetas que uso. Não têm de fazer ou criar um quadro, a não ser que queiram! Tal como nas minhas imagens mais antigas, que vos mostrei, como esta aqui, isto é pintado directamente no livro. Mas se não acharem que querem fazer as vossas próprias pinturas, podem usar imagens que encontrem. Podem fazer tipo uma colagem ou algo diferente.

JC: Então toda a gente vai ter a oportunidade de fazer o seu próprio trabalho à sua maneira neste workshop, onde teremos uma série de possibilidades para que encontrem o seu próprio método para fazer um diário, um livro de arte, um livre de Tarot, um livro de oráculos.

LS: E o que vou fazer é ter um exercício para inspirar as pessoas. Vou-lhes dar uma ideia de algo com que possam começar para criar uma página. E depois espero que as pessoas continuem a usar o seu diário. Vou mostrar imensas coisas que podem colocar lá. Assim, o que pensei que podíamos fazer era as nossas cartas de nascimento. Posso mostrar às pessoas como a devem calcular e podemos criar uma página sobre isso. Ainda vai haver mais alguns exercícios para fazermos. Se calhar, das conferências a que as pessoas assistirem, por exemplo se a Rachel distribuir algum material, este é um óptimo lugar onde guardar esses papéis. Podem colá-los, agrafá-los ou mesmo atá-los ao caderno, ou coisas diferentes do género. Sabes, vou dar algumas instruções técnicas mostrando diversas técnicas, mas também teremos exercícios divertidos para fazer que irão inspirar as pessoas para criarem as suas próprias páginas.

JC: Então vai ser um género de percurso individual para cada pessoa que estiver presente neste workshop, nestes dois workshops. Um género de descoberta sobre si próprio, uma descoberta sobre a arte. Descobrirem que possivelmente têm mais capacidade artística, de se expressarem a si próprios através da arte, do que aquilo que sabiam anteriormente. Algumas vezes é uma questão de aventura, certo?

LS: Sim, exactamente. Tal como o baralho de que eu vou falar no workshop que eu vou dar sobre como criar um baralho de um oráculo, uma forma muito fácil de o fazer é com colagem. Colagem é apenas coleccionar imagens. Eu tenho uma caixa e sempre que eu vejo uma imagem numa revista ou tipo autocolantes, eu junto-as. Postais… E eu tenho muitas imagens e depois o que se pode fazer para criar uma carta é mesmo simplesmente ter uma ideia da carta que vamos fazer e criamo-la com essas imagens e com letras para as palavras. Podem imprimir, como nesta Papisa. Eu uso estes carimbos de borracha, que vou levar alguns, que é um método fácil. Eles são assim e eu costumava carimbar. É um método muito simples para criar um oráculo, onde não têm de ser capazes de desenhar ou pintar nada. Por outro lado, se forem artistas e quiserem pintar, podem fazer algo deste género, que é um baralho completo que eu criei antes de fazer o Tarot, onde eu fiz as pinturas e coloquei as palavras. Fiz um pequeno libreto com as definições. Assim é um pouco mais complicado do que com colagem. Mas há muitas formas de fazer um oráculo. Também tenho um baralho de “Sabedoria Natural” sobre os animais e as plantas da zona em que vivo. E depois, claro, há o baralho de Tarot que estou a criar. Mas como é uma conferência de Tarot, acho que vou fazer um baralho de Tarot. Vamos ter um exercício baseado à volta do Tarot. Vamos tirar uma carta e teremos alguns materiais com que brincar. Vamos falar sobre como isto pode continuar e como pode ser acrescentado em casa cada um por si. Não tem de ter muitos materiais, não tem de ir comprar um conjunto completo de pintura, nada disso.

JC: Quer fazer um género de um convite final neste vídeo no sentido de as convidar a vir e receber esta magia de serem capazes de criar as suas próprias cartas, os seus próprios livros e o seu próprio diário. O que gostaria de dizer, de lhes deixar alguma magia?

LS: Sim, o que eu gostaria de dizer às pessoas é que todos temos um espírito criativo. Muitos de nós sentem-se livres como crianças desfrutar disso. As crianças adoram desenhar e pintar e não têm nenhum “crítico interior”. O meu objectivo é trazer as pessoas de volta para aquele lugar da criatividade onde deixam para trás o “crítico” que lhes diz que têm de fazer uma obra de arte perfeita, e que realmente possam brincar e apreciar a experiência e sentir o borbulhar desta criatividade que abre todos os tipos de possibilidades quer tenham a habilidade de desenhar ou não, qualquer pessoa pode ser criativa, todos o tínhamos em criança, mas está apenas enterrado e o meu objectivo é despertar isso. Vou fazer alguma meditação antes. Quando pinto gosto de fazer um ritual, acender velas, fazer meditação para sair do seu dia de trabalho ocupado ou da sua condição mental funcional quotidiana, e realmente entrar num espaço criativo onde consegue deixar que as coisas fluam e cheguem até nós. Como é um oráculo, queremos tentar entrar em contacto com aquela outra dimensão, a dimensão da criatividade intuitiva.

JC: Obrigado, Lisa! E mais uma vez, estou muito, muito feliz que esteja agora connosco e que vá estar connosco em Maio em Lisboa, Portugal. Muito obrigado! Iremos falar novamente muito mais sobre o seu Tarot e a sua arte. Obrigado!

LS: Obrigada!



João Caldeira
Fundador e coordenador da
Casa de Tarot (Inter Tarot House), membro do projecto internacional de formação, divulgação e credibilização do Tarot: TarotProfessionals.com e MyTarotHouse.com.
Contacto por telemóvel: 96 2874090 / 96 0094558 (consultas e cursos de Tarot).

 


SUGERIMOS AINDA QUE VEJA
artigos nesta categoria

O que é o Histórico da Casa de Tarot
O que é o Histórico da Casa de Tarot

Nesta secção do site estamos a criar o histórico de tudo que tem vindo a ser re (ler mais)

Histórico dos eventos da Casa de Tarot em 2013
Histórico dos eventos da Casa de Tarot em 2013

Palestra «5 CHAVES DA CURA PELO TAROT» por Veet Pramad Dia 5 de Junho de 2013 à (ler mais)


Inscreva-se na Newsletter

Email:
Confirmação - Escreva o seguinte número: 4377




Envie-nos a sua mensagem

Nome:
Email:

Telefone (opcional mas também importante)
Confirmação - Escreva o seguinte número: 4377

Mensagem